Saúde Mental na Educação: projeto forma professores para lidar com o assunto dentro da sala de aula

O projeto pretende formar 23 mil professores da rede estadual e ajudar a prevenir o bullying e transtornos mentais entre os alunos

Uma iniciativa da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo em parceria com a Unifesp vai formar 23 mil professores da rede estadual para lidar com questões ligadas à saúde mental dos alunos em sala de aula. O objetivo do projeto Saúde Mental na Educação é prevenir o bullying e transtornos mentais, como a depressão.

“Em primeiro lugar, é preparar o professor pra lidar com esse tema, porque ele não está presente na sua formação. Levar conhecimentos baseados em ciência, baseados em evidência, em uma linguagem simples, em uma linguagem, na verdade, acessível para o educador”, afirmou a psicopedagoga Alcione Marques.

A primeira etapa foi feita online, mas a ideia é que o conteúdo seja levado para dentro das salas de aula, assim que o retorno for normalizado. Para os professores, essa é uma oportunidade de quebrar o tabu em torno do assunto.

Além da educação, o tema também demanda a atenção de áreas como a saúde e segurança pública. Por isso, a ideia dos especialistas é formar uma rede de proteção para melhorar a eficácia da aplicação do projeto.

“A gente tem o atendimento específico de crianças e adolescentes do CAPS Infantil, o Centro de Atenção Psicossocial Infantil. Então, a ideia é que a escola não se comprometa, eu acho que nem é o nosso objetivo com a formação, mas sim promover um ambiente mais saudável, aumentar a capacidade de identificação de problemas, sobretudo de problemas graves, e poder acionar a rede de saúde do município, para que aí sim possa se trabalhar de forma mais específica com a questão da saúde mental”, explicou Anderson Rosa, pró-reitor da Unifesp.