Neuroplasticidade e Aprendizagem, como se interagem?

Neuroplasticidade e aprendizagem, como se interagem? Autor: Arthur Borges Cantanzaro

Por Arthur Borges Cantanzaro – aluno do Ensino Médio e um curioso sobre o cérebro!

Arthur Borges Cantanzaro

O nosso cérebro passa ao longo de nossas vidas por uma plasticidade, ou seja, ele se transforma sempre! Por conta desse fenômeno podemos aprender novas coisas e isso é fantástico. Sempre que aprendemos, precisamos recordar, logo, não podemos falar de aprendizagem sem falar da nossa memória. Então vamos lá!

As pessoas estudam em busca de um objetivo ou por simples prazer. Podemos observar o exemplo de jovens que estudam para o vestibular, em seu preparo está ocorrendo uma grande plasticidade cerebral! Os seus neurônios estão sempre em movimento e a cada revisada de conteúdo a sua memória está sendo fixada em áreas importantes do cérebro, entre elas o hipocampo.

Felizmente, o cérebro organiza a informação por categorias, sendo muito importante ter um bom professor para nos ensinar a arrumar nos nossos cérebros as coisas complicadas que aprendemos. De fato, os melhores professores edificam estas estruturas na mente dos seus alunos, sem grande esforço. Temos que agradecer nosso cérebro por ter essa função, pois imagine se a gente arrumasse as informações no nosso cérebro como arrumamos as coisas em nossos “quartinhos da bagunça”?

O interessante é que na medida que o nosso cérebro guarda mais informações, ele também “joga fora” as que não são tão importantes assim, por isso uma boa revisada com alguns métodos importantes para fixação é muito importante.

A plasticidade ocorre a todo momento, cabe a nós termos alguns “macetes” para melhorar o nosso aprendizado, veja algumas dicas:

  • Divida seu estudo em matérias e alterne o tempo entre elas.

O seu estudo será mais vantajoso se dividi-lo em matérias e ficar estudando determinado assunto no mínimo 40 minutos. Mas depois troque o assunto ou a matéria! Isso auxiliará seu cérebro a voltar a ficar em alerta novamente.

  • Faça mapas mentais.

Os mapas mentais são uma ótima forma de fixação e de recordação por palavras ou tópicos do que foi estudado. E o melhor: escreva a mão, pois pesquisas mostram que é mais favorável ao aprendizado do que digitar.

  • Estude sim, mas explique sempre!

É comprovado que explicar é um ótimo método de estudo para fixar o conteúdo, então, estude explicando para você mesmo ou tente explicar a um amigo a matéria que precisa estudar.

  • Estude com prazer e atenção.

O melhor modo de estudar é estudar brincando, veja métodos como jogos, aplicativos, flashcards, etc, para que tenha foco e mantenha atenção, além de se divertir aprendendo.

  • Descanse!

Estudo é importante, mas é necessário uma boa noite de sono, fazer atividades relaxantes e prazerosas e até mesmo um “break” com um lanche leve entre as matérias ou um longo período de tempo focado nos estudos.

Espero que seus estudos turbinem cada vez mais a partir desse post! Abraços 😊

 

Sugestões para leitura:

  • O Cérebro Que Se Transforma – Norman Doigde
  • O Cérebro Aprendiz – Roberto Lent
  • Cem Bilhões de Neurônios? – Parte 5: Os Neurônios Se Transformam – Roberto Lent

Fontes:

www.neuroconecte.com

Livros:

  • Neurociência: A Ciência do Cérebro –  Richard Morris (Universidade de Edimburgo) e Marianne Fillenz (Universidade de Oxford)
  • Brain Facts

 

Contato: contatoarthurc@outlook.com