NeuroConecte em parceria com a UNIFESP participa de projeto de saúde mental inovador na área da educação

Projeto inovador integra saúde mental à educação pública.

A NeuroConecte e a UNIFESP em parceria, desenvolvem materiais e ações de prevenção e promoção da saúde da mente para a área da educação escolar.

Nesta terça e quarta-feira, dias 16 e 17 de junho, das 8h30 às 12h30h, está sendo realizado junto aos educadores da rede pública do estado de São Paulo o Projeto Viver com Saúde – Saúde Mental na Escola, uma parceria entre a NeuroConecte e a UNIFESP com apoio da Fundación MAPFRE.

O projeto foi realizado por meio do Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar – CONVIVA SP, criado pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, que tem como proposta fazer com que toda escola seja um ambiente de aprendizagem solidário, colaborativo, acolhedor e seguro.

Assim, vindo ao encontro dos propósitos do CONVIVA SP, o objetivo do Projeto Viver com Saúde – Saúde Mental na Escola é levar informações sobre o tema aos educadores para que a escola possa contribuir mais efetivamente na promoção da Saúde Mental de crianças e adolescentes.

Neste primeiro momento, participaram remotamente da formação por meio do Centro de Mídias SP gestores regionais do CONVIVA, supervisores, equipes gestoras das escolas, professores coordenadores, professores mediadores, agentes de organização escolar e outros da rede pública estadual, em um total de 20 mil educadores. Posteriormente, a formação será disponibilizado para os demais educadores da rede e haverá outras ações que compõem o projeto neste ano.

O time da NeuroConecte responsável pelo trabalho é a neuropsicóloga Adriana Fóz, a psicopedagoga Alcione Marques, o psicólogo Eduardo Lopes e a instrutora de Mindfulness Luiza Hiromi Tanaka. O trabalho foi coordenado por Anderson Rosa, vice-reitor e professor na UNIFESP.

Durante o encontro, foram abordados temas como mente e saúde mental, relação entre as emoções e a saúde mental, como lidar melhor com o estresse, compreendendo a saúde da mente por meio da Neurociência, transtornos mentais mais prevalentes na infância e adolescência, sinais de alerta, automutilação, suicídio, dentre outros tópicos.

O tema é de fundamental relevância com o aumento da incidência de transtornos mentais entre crianças e adolescentes e frente aos impactos gerados pela pandemia de COVID-19. Desse modo, é necessário que o educador tenha conhecimentos seguros e que a escola esteja preparada para ser um espaço promotor de saúde mental.